terça-feira, 17 de agosto de 2010

Câmara Municipal de Jaraguá do Sul aprova recursos para concluir Centro Interpretativo da Mata Atlântica

Etapa da construção do prédio principal em 25/08/2010

Câmara Municipal de Jaraguá do Sul aprova subvenção de recursos financeiros para a conclusão das obras das Instalações do Centro Interpretativo da Mata Atlântica (CIMA)

As instalações são constituídas de duas edificações:

1) Prédio de 150 m2 onde fica um refeitório, cozinha e banheiros para receber os estudantes (obra já concluída)

2) Prédio de dois pisos com área total de 372 m2, onde fica o auditório, biblioteca, sala de informática, alojamentos confortáveis para pesquisadores e estagiários do Brasil e exterior (em fase de conclusão).

Boa parte destas instalações foram construídas com recursos da Fundação AVINA, do patrocínio da PETROBRAS (Seleção Pública através do Programa Petrobras Ambiental 2006), repasse do Ministério Público de Santa Catarina e doações de pessoas físicas e algumas pequenas empresas de Jaraguá do Sul.

A trilha interpretativa tem 1.150 metros, onde já estão sendo atendidas as escolas da região do vale do Itapocu e norte de Santa Catarina (Joinville, Blumenau...). No total, incluindo o atendimento na RPPN Santuário Rã-bugio, em Guaramirim - SC, já foram atendidos 30 mil estudantes e mais de mil professores.

Além das atividades de educação ambiental, o CIMA funcionará também como um centro de difusão da ciência. Muitas atividades interativas com a natureza, nada mais são do que uma aula de laboratório de química e física, o que proporciona um benefício extraordinário para a sociedade, pois estamos contribuindo para a formação profissional dos estudantes envolvidos em nossos projetos.

Serão atendidos professores nos cursos de capacitação. Juntamente com o aprendizado sobre os serviços ambientais das matas preservadas (como a proteção dos rios e nascentes, das encostas, biodiversidade etc.), vamos incentivar os professores a desenvolverem atividades práticas do ensino de ciências sem a necessidade de recursos financeiros dispendiosos.

A área do terreno tem 40,6 hectares, fica no bairro Barra do Rio Cerro, em Jaraguá do Sul (SC), e teve o uso cedido para o Instituto Rã-bugio, para fins educativos, por 10 anos, prorrogáveis por mais 10, aprovado através da Lei Municipal no 3.830/2005, de 03/06/2005. O plano diretor do município, aprovado na Lei Complementar nº 65/2007, de 01/06/2007, no art. 15, prevê a transformação da área em Unidade de Conservação (Parque Ecológico) e parte da área já foi averbada em cartório com esta finalidade.

A mata Atlântica é reconhecida pela UNESCO, como base em dados científicos, como sendo um dos ecossistemas do planeta mais importantes para ser preservado, haja vista sua riqueza de espécies de plantas e animais e a beleza de cenários naturais, mas está seriamente ameaçada. A região do vale do Itapocu, na Serra do Mar e adjacências, no norte de Santa Catarina, conserva ainda importantes áreas preservadas de mata Atlântica que abrigam muitas plantas e animais ameaçados de extinção e protegem muitos rios e nascentes, fundamentais para o abastecimento da população e funcionamento das indústrias. Iniciativas para protegê-la, como esta do CIMA, mostrando para a sociedade sua importância, são necessárias e imprescindíveis.

3 comentários:

Adalberto Day disse...

Germano
Já somos seguidres do excelnete trabalho do blog e que vocês vem desempenhando. Aqui em Bluamenau também acompanho o Eco-museu ecologico Dr. Agobar Fagandes.
Parabéns pelo trabalho.
Adalberto Day cientista social e pesquisador da história em Blumenau

Beatriz disse...

Adorei conhecer! Sou bióloga e estou sempre me metendo por aí para ajudar a natureza. Certamente voltarei aqui mais vezes!!!
Bjs,
Bia
www.biaviagemambiental.blogspot.com

Jeferson disse...

Parabéns Germano, Elza e todo pessoal de apoio do Rã-bugio..

Cada dia mais nos enchem de orgulho pelo grande esforço na preservação do meio ambiente de Jaraguá do Sul e de partes de Santa Catarina!!