quarta-feira, 21 de abril de 2010

Roubo de ovos de tartaruga: A denúncia do massacre é verdadeira

Saque dos ovos de tartarugas para venda aos restaurantes na Praia de Ostional, do oceano Pacífico, localizada a 350 de San Jose, capital da Costa Rica. Observem a crueldade: os ovos são saqueados durante a postura das mamães tartarugas, causando-lhes muito estresse. Nem isto eles respeitam.

Nos últimos meses tenho recebido centenas de e-mails com as imagens chocantes do saque de ovos de tartarugas pelas pessoas nas praias da Costa Rica. Fiquei desconfiado porque estava cheirando boato de internet. Algumas mensagens que estavam chegando informavam que o local era o Rio Solimões, no Brasil!


Obviamente não poderia ser um banco de areia do rio Solimões, considerando que as imagens mostram claramente o mar, sacos de fertilizante utilizados para transportar os ovos escritos em espanhol e também as características físicas das pessoas. Então, como informavam a maior parte das mensagens, o local mais plausível para as cenas do massacre poderia realmente ser uma praia da Costa Rica

Os gestores do projeto garantem que em cada temporada são saqueados “apenas” 3 milhões de ovos e que este número é 10% do total que as tartarugas depositam

Estariam as praias das Costa Rica tornando-se mortais para as tartarugas? Eu fui atrás de fontes confiáveis e verifiquei que, infelizmente, estão. É o que parece. As imagens não mentem, não foram manipuladas e mostram uma triste realidade nas praias da Costa Rica: o saque de ovos de tartarugas para o consumo e venda para restaurantes que faturam alto com a iguaria servida para os turistas estrangeiros. Tal prática é, obviamente, motivo de muita preocupação porque ameaçam de extinção algumas espécies de tartarugas.

Estes ovos saqueados dos ninhos das tartarugas são embalados, recebem um selo de "coletados legalmente" e vendidos para bares, restaurantes e padarias em toda a Costa Rica.

Há 20 anos o pesquisador Douglas Clark Robinson, da Faculdade de Biologia da Universidade da Costa Rica, colocou em prática um projeto de geração de renda pioneiro envolvendo as famílias da comunidade de Ostional, em Guanacaste, com uma atividade duvidosa de coleta "sustentável” de ovos para consumo próprio ou comercialização para os restaurantes.

Ovos de tartaruga saqueados da natureza
na cozinha de um restaurante da Costa Rica


Lembrando que o local é uma unidade de conservação da natureza, Refúgio Nacional da Vida Selvagem de Ostional, e são os ovos da tartaruga oliva (Lepidochels olivacea), espécie que ESTÁ AMEAÇADA DE EXTINÇÃO. A tartaruga oliva desova nas praias brasileiras também, no Nordeste.

Durante as primeiras 35 horas após o início da desova, os habitantes locais passaram a receber autorização para promover a retirada maciça de ovos que, segundo os defensores deste projeto macabro de manejo sustentável, seriam destruídos pelas levas seguintes de tartarugas que congestionam o reduzido espaço ainda disponível na praia para a desova. A verdade é que para a mamãe natureza não faz nenhuma diferença se uma agressão é autorizada ou não.

Dizem que o monitoramento é feito pela Universidade da Costa Rica, Instituto da Pesca e Ministério do Ambiente, que até hoje gerenciam o projeto. E, assim, como tem muita gente que acredita em papai Noel, alguns defendem com unhas e dentes que este projeto funciona e ajuda a salvar as tartarugas. Na verdade, o salários de muita gente provém destes projetos de manejo sustentável. A cadeia alimentar dos predadores de ovos de tartaruga é bem mais complexa do que se imagina.

Reparem nas imagens que a crueldade é tão grande que eles retiram os ovos durante a postura das mamães tartarugas, causando-lhes muito estresse. Nem isto eles respeitam. As tartarugas chegam exaustas àquela praia após viajarem milhares de quilômetros atravessando oceanos, achando que ali continua sendo um lugar seguro para terem seus bebês, como sempre foi há milhares de anos. Ainda não sabem que, agora, o local tornou-se uma praia mortal.

Para minha surpresa, a nota de “esclarecimento” do Projeto TAMAR/ICMBio publicada no site O ECO defende com vigor este saque de ovos de tartaruga pelas pessoas com o argumento de que seriam desperdiçados ao servirem de comida para os predadores naturais (aves, mamíferos...), como se estes animais não merecessem viver.
Esta imagem mostra que são saqueados até os ovos enterrados profundamente,
que estavam bem seguros contra a ação dos predadores naturais.


Teoricamente, tudo é perfeito. Entretanto, na dura realidade da ganância humana, com o irresistível preço de 30 dólares o quilo de ovos de tartaruga, começaram a ser detectados problemas graves de gestão sobre a atividade. O projeto apresentou um terrível efeito colateral ao estimular a coleta ilegal que estaria ocorrendo mais fortemente em outras praias porque o governo costarriquenho não consegue controlar a atividade em todas as áreas protegidas.

O fenômeno da desova de tartarugas proporciona um espetáculo para os visitantes estrangeiros e a atividade turística na região é praticada de forma intensa, com a exploração imobiliária que reduz mais ainda o espaço para a desova das tartarugas. E, claro, como um atrativo principal para os turistas estrangeiros os roteiros turísticos oferecem cardápios com uma incrível variedade de pratos a base de ovos de tartaruga.

Em seu caderno de ciências do dia 14/11/2009, o jornal The New York Times publicou uma matéria que cita o problema da coleta de ovos de tartaruga na Costa Rica, informando que é comum e coloca em risco de extinção algumas espécies.


ROUBO DE OVOS DE TARTARUGA NO BRASIL?


Sim, temos este problema aqui também. Se tivéssemos fotos, as imagens não seriam muito diferentes destas da Costa Rica.

Veja a matéria publicada no jornal O Globo, 08/01/2010

Encontrados 50 mil de ovos de tartaruga na zona rural do Rio Grande do Sul

PORTO ALEGRE - A Companhia Ambiental de Pelotas confirmou no final da manhã desta sexta-feira que cerca de 50 mil ovos de tartarugas da espécie tigre-d'água foram encontrados em dez canteiros na localidade de Barra Falsa, zona rural de Rio Grande. A informação inicial era de que pelo menos 10 mil ovos estariam enterrados no local.
Trinta policiais militares participam da ação que encerra uma operação iniciada há seis meses. Os ovos são coletados nas margens do Canal São Gonçalo e enterrados à espera da eclosão. Famílias que estavam no local foram detidas enquanto a BM faz um levantamento dos envolvidos. A operação segue durante todo o dia.

Biólogos e veterinários do Núcleo de Reabilitação da Fauna Silvestre da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) estão no local. Os ovos serão removidos ainda hoje. A polícia trabalha com a possibilidade de contrabando dos animais para fora do país e do estado, além da venda para criação doméstica.


Matéria do Globo Amazônia, em São Paulo, 20/10/2009

Fiscais apreendem 200 ovos de tartaruga roubados de seus ninhos no PA

Ovos eram coletados nas margens do Rio Xingu.

Nesta época do ano, répteis usam praias fluviais para desovar.
Fiscais da Secretaria de Meio Ambiente do Pará (Sema) do Pará apreenderam 200 ovos de pitiú – espécie de tartaruga que vive nos rios da Amazônia – que estavam sendo retirados de seus ninhos no município de Senador José Porfírio, nas margens do Rio Xingu.

Devido às más condições em que foram armazenados, os ovos perderam a vida e não puderam ser devolvidos aos seus ninhos.

Nesta época do ano, quando os rios começam a baixar, tartarugas usam as praias de rio para desovar e se tornam presas fáceis de caçadores.

A fiscalização foi realizada na última quarta-feira (14), quando um homem foi encontrado coletando os ovos e colocando dentro de sacolas no tabuleiro – como são chamadas as praias de rio – de Embaubal, no Xingu. Segundo a Sema, o infrator Foi levado para a delegacia e poderá ser multado em R$ 500 por cada ovo apreendido. Ele alegou que estava desempregado e que os ovos seriam consumidos por sua família.

Roubo de ovos de tartaruga nas margens do rio Xingu, no município de Senador José Porfírio (PA) (Foto: Ana Monteiro - Sema (PA)/Divulgação)



8 comentários:

André disse...

É lastimável ver ações desta natureza, ainda mais que estão destruindo os seus próprios recursos. E pessoas assim ainda se consideram HUMANAS!!!

carlos roberto disse...

É incrível que isso ainda aconteça!

Noticiei o roubo dos ovos de tartaruga no meu blog, o DANDO PITACOS. Se você puder deixar um comentário, a matéria está em http://apatotadopitaco.blogspot.com/2010/03/salvem-as-tartarugas.html.

Temos que continuar denunciado!

Um abraço...

Pry Miranda disse...

Estou horrorizada com esta notícia! É inacreditável... Se fossem pessoas que passassem necessidades e estivessem pegando os ovos para ter o que comer, seria até justificável. Mas por ganância? pra vender e ganhar dinheiro? É um ABSURDO! Fiquei surpresa ao saber que o Projeto Tamar, que eu tanto apóio e participo como voluntária, tenha tentado justificar esse ato de forma tão pobre. Sabe-se que os predadores naturais dos ovos NECESSITAM daquele alimento para sobreviver, e assim como as tartarugas, todos os outros animais tem o direito de viver!
Nas desovas de Tartaruga aqui no Nordeste, tentamos proteger os ninhos o máximo possível dos predadores naturais, mas como é normal, acontece de perdermos muitos ovos para eles. Só que de certo modo, não posso ficar triste por isso e sim pelo fato de raposas e tatus terem que chegar ao ponto de descer à praia e comer ovos de tartarugas porque seu habitat (mata atlântica) está sendo destruído pelas ações dos seres humanos.
Parabéns pelo Blog e pelo Projeto! Sou fã de vocês!
Abçs

Leonardo disse...

Caros amigos.

Esta matéria sobre a pegadinha da geração de renda com ovos de tartaruga, traz uma frase quase que profética, que aliás exprime uma conclusão que há muito tempo eu já havia chegado...

"NÃO TEM COMO UMA COISA SER SUSTENTÁVEL NESTE NOSSO MUNDO REAL"

O "desenvolvimento sustentável", atualmente, está sendo vendido aos quatro ventos como uma "panacéia", para solução de toda devastação ambiental que os atuais métodos de produção causam a natureza visando manter ainda mais altos os níveis de consumo da humanidade.

Esta sim é a grande pegadinha...

A maior parte da sociedade em geral, que sequer sabe da árdua luta e dos problemas enfrentados por aqueles poucos que efetivamente tentam de alguma forma ainda preservar uma melhor qualidade de vida, não só para aqueles que os rebatem, bem como para as gerações futuras, embarca nesta falácia (desenvolvimento sustentável), só para poder dizer, pelo menos intimamente, "eu fiz minha parte".

Porém esta mesma sociedade não admite, em hipótese alguma, abrir mão das maravilhas tecnológicas que cada vez mais consomem e exaurem os recursos naturais - sabidamente finitos - necessários à manutenção da "qualidade de vida" que pensa ter.

A maior prova está aí...

Exploração descarada do futuro de uma espécie ameaçada de extinção, travestida de "Manejo Sustentável"!

Tal prática, explicando de forma simplista e crua para aqueles que acham que o quê as imagens estão mostrando, não é bem assim como se pinta e denuncia, seria o mesmo que se permitir adentrar em uma maternidade e dela "sacar" todos os fetos ainda não nascidos, visando servi-los como "Baby Beef" aos turistas, já que a disponibilidade de tal "matéria prima", se não sustentavelmente controlada e manejada, poderia desestabilizar o ecossistema em que vivemos, tendo em vista a superpopulação de humanos que ocorre nos dias de hoje!

Absurdo não?!

O pior de tudo é saber que tal acinte está sendo perpetrado em uma Unidade de Conservação da Costa Rica, um País que até então era tido como o melhor exemplo de conservação da natureza, principalmente aqui no Brasil.

Sinceramente, meus amigos, ante um exemplo de "desenvolvimento e manejo sustentável" como este, fica realmente difícil de acreditar que alguma coisa vai mudar.

Mais do que nunca está na hora de começar a pensar, seriamente, na mudança de um dos maiores slogans ambientalistas de todos os tempos.

Ao invés de gritarmos "SALVEM O PLANETA" deveríamos gritar "PROTEJAM O PLANETA DE NÓS MESMOS" ou melhor "SALVEM O HOMEM DELE MESMO".

Um abraço, do amigo.

Leonardo Carvalho.

Mariza disse...

E assim caminha a humanidade!
Abraços,
Mariza.

www.multface.blogspot.com disse...

Pelo amor de Deus, temos que reagir e proteger as Tartarugas e a Natureza. Se isso não acontecer, será o breve fim da Humanidade.

maia disse...

Não dá nem pra acreditar que apesar de tudo o que está acontecendo tem gente que faz esse tipo de coisa... É uma pena, mas a cada 10 pessoas do nosso planeta, 8 delas não estão nem aí pra nossa natureza, enquanto as outras 2 tentam fazer o possível para protege-la, mas sem grandes apoios ou idéias acabam enfraquecendo ainda mais. Precisamos fazer algo logo, algo que faça mudar isso imediatamente, precisamos de socorro!!!

Rayanne disse...

É muito triste saber que a humanidade faz esse tipo de coisa...
eles deviam pensar se fosse o contrario e se viesse alguém e roubasse os filhos deles...ai sim seria roubo.As tartaruguinhas não vão encontrar seus pais,mesmo que seja são colocados na terra por deus que também me colocou para com isso!!!ainda dão risada nas fotos!!!!é triste ver a ganância da HUMANIDADE!!